Imposto de Renda: Esses são os principais erros que podem levar à malha fina

Listamos os erros mais cometidos por contribuintes para você ficar atento aos detalhes na reta final da declaração

24/05/2024 às 13:33 | Atualizado 24/05/2024 às 14:00 | Tempo de leitura: 3 minutos

Imposto de Renda: Esses são os principais erros que podem levar à malha fina

Imposto de Renda: Esses são os principais erros que podem levar à malha fina

À medida que se aproxima o prazo final para a entrega da declaração do Imposto de Renda 2024, em 31 de maio, muitos contribuintes deixam de prestar atenção aos erros que possam levar sua declaração para a malha fina.

Ou seja, compreender os erros mais comuns pode salvar você de dores de cabeça e garantir que você receba sua restituição, se tiver direito, sem atrasos. Por isso, neste artigo, vamos explicar os erros mais comuns entre contribuintes na hora de declarar o tributo. Acompanhe!

O que é a malha fina do Imposto de Renda?

A "malha fina" é um termo usado pela Receita Federal para descrever o processo de verificação detalhada das declarações que apresentam inconsistências. Isso pode incluir desde divergências de valores até a omissão de rendimentos.

Se sua declaração for retida, você será notificado para corrigir as informações, com a possibilidade de enviar documentos de forma digital para validar suas correções.

Erros comuns na declaração de Imposto de Renda

1. Deduções impróprias

O principal erro nas declarações de 2023 foi relacionado a deduções, especialmente despesas médicas, que foram responsáveis por 42,3% das retenções. Frequentemente, esses erros ocorrem porque as despesas declaradas não são confirmadas pelos recebedores.

2. Omissão de rendimentos

O segundo erro mais comum é a omissão de rendimentos, responsável por 27% das retenções. Isso acontece quando rendimentos recebidos, como salários ou aluguéis, não são totalmente declarados.

3. Inconsistências na retenção na fonte

As divergências nos valores de retenção na fonte representaram 10% dos casos na malha fina em 2023. Por isso, fique atento: o problema ocorre quando há uma discrepância entre o imposto retido na fonte informado pelo contribuinte e o valor declarado pela fonte pagadora.

Quem deve declarar o Imposto de Renda em 2024

A declaração do Imposto de Renda é obrigatória para quem:

  • Recebeu mais de R$ 30.639,90 de renda tributável em 2023.
  • Ganharam mais de R$ 200.000 em rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte.
  • Obteve ganhos com a venda de bens ou direitos sujeitos à tributação.
  • Realizou operações na bolsa de valores.
  • Recebeu mais de R$ 153.199,50 em atividade rural ou teve prejuízo rural a compensar.
  • Possuía bens com valor superior a R$ 800 mil.
  • Passou a residir no Brasil em 2023 e permaneceu até o final do ano.
  • Optou pela isenção do imposto sobre a venda de imóveis residenciais, reinvestindo o ganho na compra de outros imóveis residenciais no país dentro de 180 dias após a venda.

Confira os próximos prazos do Imposto de Renda 2024

As restituições serão pagas em cinco lotes, nas seguintes datas:

  • Primeiro lote: 31 de maio;
  • Segundo lote: 28 de junho;
  • Terceiro lote: 31 de julho;
  • Quarto lote: 30 de agosto;
  • Quinto lote: 30 de setembro.

Enviando sua declaração cedo, você aumenta suas chances de estar nos primeiros lotes de restituição e minimiza o risco de erros que podem resultar em atrasos significativos.

Nesse processo, a declaração pré-preenchida, disponível para quem possui acesso ao e-CAC, pode facilitar o processo e reduzir o risco de erros. Por fim, mantenha-se informado e prepare-se adequadamente para evitar cair na malha fina.


Conheça a Konsi Consignado do seu jeito

Diga adeus à burocracia! A Konsi é o app que te ajuda a encontrar as melhores opções de empréstimo consignado, de forma simples, segura e transparente.

Controle total na sua mão. Baixe o app Konsi agora mesmo e compare diferentes ofertas de empréstimos consignados, simule valores e escolha a opção que melhor se encaixa nas suas necessidades.

Perguntas Frequentes

  • A malha fina é um mecanismo de controle da Receita Federal que visa identificar inconsistências nas declarações de Imposto de Renda. Essas inconsistências podem ser erros involuntários ou tentativas de sonegação fiscal.

  • A Receita Federal notifica os contribuintes que caíram na malha fina por meio do Extrato da Declaração (DIRPF), disponível no site ou aplicativo Meu Imposto de Renda. No extrato, constará a pendência e o motivo pelo qual a declaração foi retida.

  • Inconsistências nos dados informados: Erros no CPF, CNPJ, valores de rendimentos, deduções ou despesas; Falta de documentação comprobatória: Ausência de notas fiscais, recibos ou outros documentos que comprovem as informações declaradas; Omissão de rendimentos: Não declarar todos os rendimentos recebidos no ano, como rendimentos de investimentos, aluguéis, trabalhos informais etc.; Diferança entre os dados informados e os dados de terceiros: Divergências entre as informações declaradas pelo contribuinte e as informações que a Receita Federal possui de outras fontes, como bancos, empresas, instituições de ensino etc.

  • Ao receber a notificação da Receita Federal, o contribuinte deve acessar o Meu Imposto de Renda e verificar o motivo da pendência. Em seguida, é necessário reunir toda a documentação comprobatória que sustente as informações declaradas e enviar uma retificação da declaração.

  • O prazo para regularizar a situação na malha fina varia de acordo com a pendência. A Receita Federal informa o prazo específico na notificação enviada ao contribuinte. Em geral, o prazo é de 30 a 60 dias.

Ainda tem alguma dúvida?

Envie uma mensagem, estamos à disposição

Chamar no WhatsApp

Tópicos Relacionados