Como criar um fundo de emergência enquanto paga seu empréstimo consignado

Uma orientação passo a passo sobre como construir um fundo de emergência enquanto gerencia suas dívidas.

11/05/2023 às 18:27 | Atualizado 17/05/2024 às 17:11 | Tempo de leitura: 3 minutos

fundo de emergência

fundo de emergência

Os percalços financeiros são uma realidade para a maioria das pessoas. É provável que, em algum momento, todos enfrentem uma situação inesperada que possa afetar seu bem-estar financeiro: aí que entra o fundo de emergência!

Para estar preparado e evitar o endividamento excessivo, é essencial ter alguma economia guardada. Mas como criar um, especialmente se você está pagando seu empréstimo consignado?

Leia mais: 7 dicas para conseguir a menor taxa de juros no consignado

A importância do fundo de emergência

Antes de tudo, precisamos destacar a importância de ter um fundo de emergência. Ele serve como um "colchão financeiro" que pode ser utilizado em situações imprevistas, como doenças, desemprego, reparos no carro ou casa, entre outros eventos que podem afetar seu orçamento mensal.

Ter um fundo de emergência proporciona tranquilidade e ajuda a evitar o endividamento em situações de aperto financeiro. Além disso, a construção desse tipo de reserva contribui para sua organização financeira e a realização de metas futuras.

1. Determine o valor necessário para o seu fundo de emergência

Para começar, você precisa definir um valor para seu fundo. Ele deve ser suficiente para cobrir de três a seis meses de despesas gerais, como aluguel, contas de serviços públicos, alimentação, plano de saúde, entre outras. Liste suas despesas mensais e multiplique pelo número de meses que pretende garantir. Por exemplo, se suas despesas mensais são de R$ 3.000 e você quer cobrir seis meses, o valor necessário para o seu fundo de emergência será de R$ 18.000.

2. Defina uma meta mensal de economia

Depois de determinar o valor necessário para seu fundo, defina metas mensais de economia. Estipule um valor que você deseja economizar todos os meses e que possa ser alcançado sem prejudicar seu orçamento atual. A ideia é poupar de forma consistente, mas sem sacrificar suas necessidades básicas.

3. Automatize suas economias

Automatizar suas economias significa configurar uma transferência mensal, logo após o recebimento do salário, de uma parte dele para outro tipo de conta (poupança ou conta corrente separada) especificamente destinada ao fundo de emergência. Essa estratégia ajuda a manter o compromisso com suas metas e evita o impulso de gastar o dinheiro poupado.

4. Amplie as fontes de renda, se necessário

Se você está tendo dificuldades para economizar ou percebe que o valor reservado ao fundo de emergência é insuficiente, considere diversificar suas fontes de renda. Isso pode incluir trabalhos temporários, freelances ou vender artigos que não são mais úteis. Se você é servidor público, verifique a possibilidade desse grupo de profissionais atrair recursos adicionais.

5. Revise e ajuste seu plano regularmente

Acompanhe o progresso do seu fundo de emergência e ajuste o valor das economias mensais, caso necessário. Isso pode ser realizado semestralmente. Além disso, verifique se suas despesas e renda se mantêm constantes e atualize seu plano de acordo.

6. Use o empréstimo consignado a seu favor

Se você possui um empréstimo consignado, saiba que esta é uma das modalidades de crédito com as taxas de juros mais baixas do mercado. Isso pode ser utilizado a seu favor na construção do fundo de emergência. Verifique a possibilidade de fazer a portabilidade de crédito para obter condições ainda mais favoráveis e reduzir o valor das parcelas. Você também pode optar por refinanciar seu empréstimo consignado para obter um prazo mais longo ou uma taxa de juros menor, assim poderá conseguir menor parcela a pagar.

Criar um fundo de emergência enquanto paga um empréstimo consignado é uma tarefa desafiadora, mas certamente possível. Com planejamento, foco e objetivos claros, você pode garantir a estabilidade financeira mesmo diante de imprevistos. Lembre-se de que o empréstimo consignado é uma das modalidades de crédito com menores taxas de juros, e isso pode ser usado a seu favor. A chave é economizar consistentemente, ajustar seu plano quando necessário e manter-se atento a oportunidades para reduzir os custos e aumentar a renda.

Saiba mais: 5 passos para organizar suas finanças e evitar endividamento.

Se você deseja obter mais informações sobre empréstimo consignado e como gerenciar suas finanças pessoais, visite nosso blog e baixe o aplicativo Konsi para simular e contratar um empréstimo consignado com as melhores condições do mercado!

Tópicos Relacionados